Especial! Guitar Hero! (Parte1)

guitar-hero

Apertar botões nunca fora tão difícil.

A partir de hoje inicia-se um especial sobre este jogo que tirou muitos jogadores do ostracismo e salvou um monte de empresas do ramo fonográfico do buraco, quanto tempo este especial vai durar ainda não sabemos, mas aqui está    o início. Mas antes vamos a uma pequena introdução.

Fazia algum tempo que não postava algum conteúdo especial, então já está mais do que na hora não? O que posso dizer para iniciar este especial? Primeiro que ouvi muita música todos os dias (chamo isso de o exercício de todas as coisas-sem trocadilhos com a banda Ludov), enfim, ouvi coisas que valeram a pena (como o novo Alice in Chains) e outras que não valem nem um centavo (nem vou citar nomes porque certamente alguém vai se ofender muito). Trocando em miúdos, adoro música e gosto de conhecer coisas novas e revisitar o passado musical.

Mas tem um grande problema nisso tudo: quase todas as músicas que eu ouço estão num tocador de MP3, ou seja, músicas são ouvidas no busão, no metrô, etc… Talvez alguém tenha pensado algum dia que a melhor forma de ouvir música seria jogando videogame.

Realmente a idéia não é ruim. Daí vieram games que flertavam com a música (Rock n’ Roll Racing) e depois vieram os games que faziam o jogador interagir com ela (Dance Dance Revolution), até que muitos anos depois da invenção da música e dos videogames, surgiu o game mais popular a mexer com a música: Guitar Hero.

.

.

.

Guitar Hero

ghv.jpg

Guitar Hero 1

O ano era 2005, ano em que a geração 128 bits ia se despedindo já que o Xbox 360 iria ser lançado em pouco tempo e todos já estavam ansiosos por novidades acerca do Playstation 3 e do “Revolution” da Nintendo. Aqueles que acompanharam o mundo dos games naquela época deve se lembrar muito bem deste tempo.

Ninguém apostava na geração Playstation 2, ninguém ia dizer que no fim da vida o console milionário da Sony ainda tivesse forças para elevar um game tão despretensioso ao status de “um dos maiores games do mundo”.

Pois é queimaram a língua. Uma certa Red Octane ludibriava convencia a poderosa Activision de que seria boa idéia lançar um musical. A verdade é que ajudou muito o fato de que o desenvolvedor seria nada menos que a Harmonix (a mesma que outrora obtivera êxito com Amplitude, Frequency e Karaoke Revolution), mas desta vez a missão da Harmonix seria um pouco mais complexa: teria de criar um jogo nos moldes de Guitar Freaks e ainda fazê-lo compatível com a guitarra que seria desenvolvida para o game.

O orçamento era de apenas 1 milhão de dólares. A Harmonix não só aceitou o projeto, como também se empolgou bastante com a idéia.  Rob Kay, desenvolvedor da Harmonix da época deu a seguinte entrevista:

“Eles estavam interessados em fazer um jogo de guitarra como o “Guitar Freaks” da Konami; tínhamos um time que tinha acabado de finalizar o jogo “AntiGrav” e pareceu um projeto fantástico. Todos nós estávamos empolgados para trabalhar em um jogo rock’n roll”

Como já dá para notar, com um orçamento desses, Guitar Hero não era nem de longe um projeto megalomaníaco.  Claro que havia Joan Jett e Deep Purple, mas havia mesmo? O fato é que as canções famosas que haviam no pacote eram apenas  covers, já outras eram (por essa vocês não esperavam), várias músicas ali são de bandas dos próprios funcionários da Harmonix e de amigos próximos (dêem uma olhada no set list das músicas bônus).

Bem, com cara e coragem o game foi lançado contando ao todo 30 músicas que contavam um pouquinho da década de 60 até 2005. O sucesso foi instantâneo, foram mais de 1,5 milhões de cópias vendidas e arrecadando mais de 1 bilhão de dólares. O sucesso se explica: vários clássicos estavam ali pra quem quisesse tocar, ou fingir tocar as melhores músicas de seus ídolos. E claro, além dos clássicos haviam as músicas desconhecidas, mas que eram legais, músicas essas que deixaram suas bandas famosas.

.

Destaques de Guitar Hero:

More than a Feeling – Boston

Hey You – The Exies (Minha Favorita)

Take it Off – The Donnas

Even Rats – The Slip

Stellar – Incubus

Essas são as músicas que eu destaco em Guitar Hero 1, na minha opinião.

.

.

.

Guitar Hero 2

guitar hero 2

Guitar Hero II

Bom, nem é necessário fazer um texto enorme como foi o caso de Guitar Hero 1 para falar do jogo. Sabem porque? Sim, justamente por isso, Guitar Hero 2 é igualzinho o primeiro game, com a diferença das músicas. Ah, sim Guitar Hero 2 marca a era em que a franquia deixa de ser exclusiva dos consoles Sony e começa a ser jogada em outras plataformas (mais especificamente no Xbox 360). E por falar em versões para outros consoles, foi aí que Guitar Hero começava a ganhar conteúdo adicional nas diferentes plataformas.

Os chamarizes de Guitar Hero 2 são maiores do que seu predecessor, afinal grandes lendas apareciam no game agora, tal qual Iron Maiden, Van Halen, Black Sabbath, Alice in Chains, Kiss, Foo Fighters, Pearl Jam, Nirvana e Guns N’ Roses com a viciante Sweet Child O’ Mine.

.

Destaques de Guitar Hero 2:

Free Bird – Lynyrd Skynyrd

Institutionalizated – Suicidal Tendencies

Mr. Fix It – The Amazing Crowns

Parasite – The Neighborhoods

Less Talk More Rock – Freezepop (Minha Favorita)

.

.

.

Guitar Hero Encore: Rock the 80s

guitar-hero-encore-rocks-the-80s

Encore Rock the 80s

– “Os anos 80 foram os melhores”

– “Sim, mas daí veio a bicha do Kurt e estragou tudo. O que havia de errado em só se divertir?”

Essas duas frases não são de minha autoria, mas sim retiradas de um diálogo do filme “O Lutador” estrelado por Mickey Rourk (acho que é assim o nome dele, mas vocês já sabem de quem estou falando). Essa frase serve para ilustrar o que muitos devem pensar do fim dos anos 80 (eram os melhores), talvez os caras da Harmonix pensassem assim e por isso resolveram prestar um tributo a esta década tão rememorada.

Eu particularmente não joguei muito este Guitar Hero, só o bastante para ver que a “década dos sonhos” realmente proporcionara bons momentos musicais. A única infelicidade é que este foi o último Guitar Hero desenvolvido pela Harmonix. Fatores positivos? Bem, pra quem gosta dos anos 80 deve ter gostado muito do excesso de cores e vapor e a grandiosidade em cada música ali presente, ou seja, cada momento do jogo tenta ser mais ofuscante que o anterior.

.

Destaques de 80s:

18 and Life – Skid Row (Minha Favorita)

Wrathchild – Iron Maiden

Eletric Eye – Judas Priest

Turning Japanese – The Vapors

No One Like You – Scorpions

Ah é, Este Guitar Hero não possui vídeos e nem músicas bônus. Nooooooooo.

.

.

.

Guitar Hero 3: Legends of Rock

guitar-hero-3-legend-rock

Legends of Rock

Bom, a partir deste momento Guitar Hero já era uma marca importante e respeitadíssima por muita gente. Se antes os produtores tinham de implorar para os artistas deixarem usar suas músicas, agora eram os artistas que imploravam para ter uma música no jogo.

E por falar nos produtores, agora quem desenvolvia era a Neversoft (Toninho Gavião) na versão PS3/Xbox360 e a Vicarious ficava imcumbida da versão Wii, e a Budcat ficou com o Playstation 2. Em entrevista ao site Shacknews, Joel Jewett, presidente da Neversoft contou como foi que aconteceu:

“Eu e minha equipe estávamos trabalhando no jogo Tony Hawk’s Project 8, e tínhamos várias coisas para reescrever. A galera descobriu o “Guitar Hero” e começaram a trabalhar nos fins de semana para jogarem o jogo durante os outros dias…Depois de algumas semanas eu recebi um telefonema da Activision: “Joel! Joel! Nós precisamos de alguém para trabalhar no Guitar Hero. Vocês não estão interessados?”

Dissemos que os artistas queriam muito suas músicas no Guitar Hero, mas tinha uma coisa que os produtores de Guitar Hero queriam muito: usar a imagem dos artistas no game.

Por isso o nome “Legends of Rock”, a idéia era trazer algumas lendas do Rock para uma sessão de guitarra de plástico na sala de estar do jogador. Nesse embalo apareceu o Slash, um dos caras do Kiss (sinto muito não sei quem é quem ali).

Diferenças dos games anteriores? Sim, algumas.

Graças ao sangue novo dos desenvolvedores o game ficou um tantinho mais difícil, um pouquinho não, bastante. No modo Expert fica quase impossível sobreviver no primeiro minuto de música, exceto é claro para viciados. Outra grande mudança é a set list (dã), mas a mudança a que me refiro é que parece que GH está um pouco mais atual do que os outros, ou seja, conta com bandas novas (vai dizer que Linkin Park é velho como Roling Stones?).

E tem também a adição de músicas fritadas. Outra grande diferença é que os covers estavam com os dias contados pois músicas como Welcome to the Jungle e Even Flow das americanas Guns N’ Roses e Pearl Jam, respectivamente, apresentavam interpretações originais.

.

Destaques de Legends of Rock:

The Devil Went Down to Georgia – Steve Ouimete (Favoritassa)

Slow Ride – Foghat

Can’t be Saved – Senses Fail

Throug the Fire and the Flames – Dragon Force

My name is Jonas – Weezer

.

.

.

Fim.

Como assim fim?  Bom, como todos sabem, Guitar Hero é uma série muito proeminente, ou seja, em 5 anos a série já teve pelo menos 10 jogos lançados. Mas não fiquem chateados, este especial terá continuidade.

Na próxima parte falaremos das músicas modinhas de World Tour e das polêmicas de GH V, sem esquecer dos spin-offs GH: Metallica, Aerosmith, Smash Hits e On Tour. E me contaram que o especial ainda vai trazer um top 10 das bandas que mereciam seu próprio Guitar Hero e ainda um top das melhores músicas da série! Fiquem atentos!

Anúncios

4 Comentários

Arquivado em Consoles, Games, Retrô

4 Respostas para “Especial! Guitar Hero! (Parte1)

  1. victor

    guitar hero spin offs ? o jogo nem tem historia como pode tret spin off daki a pouko vai falar q tem filler XD

    a guitar hero só presto ate o 2 pq ate lá a harmonixaind estava no comando ai chegou rock band e ele é o unico q se da pra levar a serio .. vai um pouko alem de quebrar controle … XD di boa ja vi um colega meu arrangando o r2 só de jogar guitar hero ….

  2. Luiz [Digimon Kaiser]

    Spin-off é uma gíria gamer para designar os games que fogem da série principal, ou seja, qualquer um que não seja Guitar Hero 1, 2, 3, 4 e 5 são spin-off. Mas acho que você já sabia disso, só quis bancar o engraçadinho. kkkkk

  3. Pingback: Especial! Guitar Hero (Parte 2) « Revistagames's Blog

  4. Amazing, I did not know about this topic until now. Cheers!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s