Hands-On – Kingdom Hearts: Birth by Sleep

Birth By Sleep finalmente chegou ao ocidente!!!

Finalmente! Chegou aqui no ocidente o game mais aguardado pelos donos do portátil sonysta. O novo titulo da serie Kingdom Hearts com certeza ir te deixar de queixo caído e fazer com que você jogador sentimentalista tire lagrimas dos olhos.

Em 2002 quando o primeiro KH veio ao mundo, o efeito visto foi algo como Quentin Tarantino faz em seus filmes, algo muito ousado e sem saber o que ira acontecer depois do trabalho ter sido feito, bem o resultado foi o seguinte, veio ao mundo uma das franquias de Action-Rpg mais famosas do mundo que conquistou milhões de fãs e que a cada dia que passa esta melhor.

Confiram agora a análise do mais recente game da franquia.

.

Kingdom Hearts: Birth by Sleep

.

Maleficent está presente na trama, só para infernizar a vida dos heróis...

Dos consoles de mesa aos portáteis, KH sempre será uma obra prima e desta vez nada muda, no novo game da serie o contexto funciona como um prequel a tudo que conhecemos até então e você joga com três personagens sendo eles Ventus, Aqua e Terra. Estes personagens são as peças fundamentais da trama que ira revelar muitas coisas das quais somente você ira ficar sabendo se você jogar o titulo.

O novo game recebe alterações em relação ao sistema de batalha e as coisas estão com certeza mais difíceis. O sistema de batalha funciona aparentemente igual aos outros títulos só que desta vez você ira escolher um dos três para jogar e cada um deles tem habilidades e magia próprias ao contrario dos outros games no qual você possuía todas as magias e habilidades em um único personagem.

Aqui uma batalha contra o temível Lúcifer, mas o da Cinderella.

Outra novidade é o D-Link (dimension link) no auxilia seu personagem dando lhe habilidades de outros personagens vinculados ao mesmo, cada personagem possui seus próprios “amiguinhos” que fornecem habilidades que auxiliam o jogador em batalhas, também  houve uma alteração no sistema de golpes agora esta parecido com  FF XII, pois suas habilidades possuem barras que se enchem e quando completadas ficam liberadas ao jogador, exemplo você usou a magia thunder você só ira utilizá-la novamente quando a barrinha estiver completada novamente, mas enquanto isso você pode alternar suas habilidades e utilizá-las enquanto a outra carrega. Cada habilidade possui sua própria barra e quando esta completa você poderá utilizá-la , dentro de toda essa confusão esta sua habilidade command na qual serve como um limit break , esta barra se localiza em cima de todo o seu menu de itens e habilidades , quando completada você poderá utilizar sua habilidade especial.

Apesar de estar mais complexo o sistema de batalha fica fácil depois que você aprende tudo, mas logo você ira se deparar com a coisa mais inovadora vista neste game, a dificuldade. Se nos outros títulos faltou neste game tem muito , só no modo Standard ( normal ) o jogador sofre muito com os inimigos que estão mais apelões e com certeza ira te deixar na tela de game over por muitas vezes.

O sistema de viajar pelos mundos ainda é o mesmo você possui um transporte e navega por um mapa e medida que concluem suas tarefas pelos novos mundos são abertos, o sistema de exploração esta o mesmo visto nos outros games, porém os cenários estão menores e o jogador possui menos espaço do que nos outros games.

É praticamente um game de PS2 com todos esses efeitos gráficos de cair o queixo…

Também ha um modo multiplayer, no qual até seis jogadores podem usufruir de vários modos como death match  e survival mode, porém diferente do outro game para o portátil NDs o multiplyaer não atua nas missões principais do game.

Bem o game sofre o mesmo efeito visto em 358/2 days para NDS  , no outro titulo o jogador não consegue ter muito tempo para utilizar outras funções a não ser bater, devido à limitação de botão que o portátil possui e neste titulo o efeito se repete, você este enfrentando hordas de inimigos e todas eles não irão ficar esperando você ali paradão escolhendo a sua potion enquanto apanha, pois é necessário largar o analógico e escolher o que você deseja utilizar no menu e por muitas vezes o jogador ira até esquecer que possui outras funções a não ser bater.

Guitar Hero que se cuide!!!

O sistema de mira esta de volta e desta vez ajuda e atrapalha ao mesmo tempo, pois quando você esta enfrentando algum inimigo rápido tudo fica girando e você por muitas vezes quase não consegue acompanhar o inimigo, mas isso é algo que da para resolver com o tempo.

O quesito gráfico é o mais atraente, se você achou que o “ápice” de cg do portátil fosse Crisis Core, aqui você ira encontrar animações que irão lhe deixar com certeza com lagrimas nos olhos, destaque para abertura do game no qual usufrui de toda tecnologia da produtora do game para deixar você fanboy satisfeito.

Os momentos em que se deve apertar o botão na hora certa ainda estão presente.

Os gráficos no gameplay estão bem detalhados e conseguem ser iguais aos KH de mesa com personagens desenhados pelo mestre do bishounem (arte de fazer personagens bonitos geralmente vista em shoujo mangá.). Tetsuya Nomura, bem você ira encontrar personagens muito bem feitos com todo aquele traço caricato visto nos outros games  os efeitos visuais do game também estão de primeira com muita luz e pirotecnia.

O mais do mesmo se repete no contexto som, aqui você ira encontrar Simple and Clean remix, cantada por nada mais nada menos que Utada Hikaru, na versão japa temos Passion remix à versão japonesa da Sanctuary de KH II. A dublagem dos personagens permanece ótima tanto para os personagens Disney que estão no game como para os personagens do próprio game  não a nada do que reclamar diante a isto.

Finalmente enfrentaremos Maleficent em seu próprio conto, para assim salvar a princesa Aurora.

As animações do game estão perfeitas com momentos engraçados e dramáticos, os personagens permanecem com todo aquele ar sentimental um com os outros e novamente o jogo tem como o principal tema a amizade, o jogador ira encontrar com certeza um ótimo game com mais de 20 horas de jogos onde devem ser apreciada sem muita moderação todos os minutos passados, pois com certeza este game é um dos melhores já feitos para o portátil.

.

.

Conclusão:

É quase como assistir aos filmes clássicos da Disney, mas com muito mais ação.

Com um ótimo visual, enredo bem construído e uma jogabilidade difícil de aprender, mas com o tempo tudo se resolve, KH Birth by Sleep é um game que chama a atenção de todos e faz o jogador presenciar uma aventura inesquecível e que ira dar vontade de jogar novamente os outros títulos da serie para que tudo se conclua e um futuro KH III.

.

.

Análise:

Gráficos: 9.5

Jogabilidade: 8

Produção: 10

Geral: 9

.

.

Ponto forte: enredo envolvente que deixa o jogador pensando em tudo que foi presenciado e no futuro que esta por vir, poder presenciar tudo que foi visto em qualquer lugar com o portátil e para aqueles que gostam de games impossíveis sejam feliz com o game que esta com dificuldade bem ampliada.

Ponto fraco: jogabilidade com alguns problemas nos quais não da pra resolver a serie ainda não chegou ao fim.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Animes, Games, Hands-On, Lançamentos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s