[Review] Dead Nation – O caos, a loucura e muitos zumbis!

Assim como Little Big Planet e Infamous, Dead Nation chegou ao meu console através de um problema grave que até onde sabemos afetou praticamente o mundo inteiro. Foi através do pacote Welcomeback que minha revolta foi amenizada, não foi totalmente preenchida, porém confesso que acabei tendo através desse jogo uma grande satisfação em ter um PS3 e consequentemente a Playstation Network de volta.

Vou tentar resumir em poucas linhas, mas é curioso ver como nessa situação toda prevaleceu o mais simples. No passado e até o momento em que baixei esses jogos tinha em minha mente que tanto Infamous quanto Little Big Planet me levariam ao alge, engano meu, foi no simples Dead Nation onde realmente consegui me distrair e assim ficar feliz pelo caos causado pelos hackers conhecidos apenas como Anonymous.

Little Big Planet acabou sendo muito previsivel, infantil e até mesmo sem sal em alguns momentos. Gostei, mas não vejo porque comprar a segundo game da série, acho que apenas terei uma nova experiência no PSP, experiência essa que apenas acontecerá mais uma vez através do pacote Welcomeback, afinal, se é de graça não custa nada testar.

Infamous por outro lado me agradou muito, tinha em minha mente um jogo sombrio e grosseiro, na verdade isso prevelace em alguns pontos, porém a aventura de Cole tem mais para oferecer, deixando nítida a vontade de seguir com em frente.

Sinceramente não vejo a hora de conseguir o segundo game, afinal a demo é uma das melhores que eu já vi.

Bom, vamos ao que realmente interessa.

Logo de cara preciso falar que Dead Nation foi uma grande surpresa, desde seu lançamento me chamou atenção, fez com que eu gostasse da sua temática e do visual, porém nada que podia ser visto em vídeos tinha me feito comprar um PSNCard e assim adiquirir o game. Que seja, hoje os problemas foram resolvidos, como disse antes, vi aqui algo totalmente inesperado, algo que ofuscou parcialmente os outros dois jogos e fez com que o gostinho da nostalgia prevalecesse e reinasse durante toda essa campanha.

Veja bem, nunca fui um fã desse estilo de jogo, na verdade fui até onde pude para evitá-los. Tudo por um simples e poderoso motivo, Contra.

Mas espera ai! Nesse exato momento você deve estar pensando, mas Contra não é igual a Dead Nation.

Na verdade você está certo, não é igual, mas pense bem, toda sua base é a mesma. Munido de armas o que vale em cada jogo é a agilidade e a inteligencia para lidar com ordas e ordas de inimigos com apenas em mente o objetivo de chegar no fim de cada fase, sendo zumbis ou não isso realmente não importa, ambos apenas querem te matar, às vezes conseguem, mas assim que uma brecha se abre vem a alegria de ter completado o caminho árduo.

Além disso, Dead Nation agrada por sua variedade. Apesar da visão ampla e aérea tudo fica desafiador quando categorias de inimigos são adicionados durante a jornada. Temos zumbis comuns, lentos e mortos de fome. Os rápidos que aproveitam as brechas do combate, entre elas o carregamento das armas e até mesmo a escassez de iluminação. Temos os zumbis gordos, alguns que se tornam mais difíceis de matar e outros que funcionam como uma bomba, afetando tudo que esteja no seu raio de explosão. Temos os mostros saltadores e outros que aproveitam da sua agilidade para dilacerar o jogador com suas lâminas, ambos difíceis no início, porém acabam ficando inofencíveis diante de uma Machine Gun apropriadamente calibrada. Talvez o mais complicado seja os mostros gritadores, em sua essênsia são inuteis, porém com seus gritos chamam e direcionam para o combate qualquer inimigo que esteja no cenário, nesse caso apenas a habilidade e muitos explosivos podem te salvar.

É estranho dizer, mas a melhor parte de Dead Nation é a sua engine. Não estou me resumindo apenas aos gráficos que no geral são ótimos, mas sim ao seu sistema de iluminação e aos detalhes implementados em cada cena e a cada momento. Além dos efeitos do clima que querendo ou não atrapalha a visão, a iluminação da lanterna presente em cada arma faz com que tudo fique ainda mais desafiador. É lindo ver as sombras de cada elemento se projetando nas paredes e carros, é ainda mais gratificante brincar com as luzes estáticas de cada cenário, o efeito é tão interessante que muda a cada movimento a densidade e o tamanho das sombras, tudo levando em conta a posição do personagem. Ser encurralado, ou melhor, ser surpreendido por trás é apenas o início da brincadeira, em alguns momentos o que sobra em suas mãos é apenas esse foco de luz, obrigando ao jogar ser criativo e estratégico, tudo para não morrer e consequentemente voltar ao início da fase.

O som é outro ponto alto do game, apesar de simples é tão poderoso que trás ao jogador o som de cada bala disparada e até mesmo o dano realizado em cada inimigo. Em alguns casos os sons acabam sendo mais leves, em outros pode-se notar claramente a explosão do crânio oco presente nos mais bizarros e magrelos zumbis.

Talvez, e isso não é um problema, Dead Nation não seja muito feliz ao ser jogado em Home Theater. Isso por ter ao longo de sua jornada sons altissimos que querendo ou não podem causar uma bronca de seus pais, da sua namorada e até mesmo de seus vizinhos. Por outro lado, se apodere de um fone de qualidade e seja feliz.

A história não é fraca, porém não é a melhor coisa que você receberá aqui, tem seus pontos altos, é interessante mas lá no fundo não faz diferença alguma, o que realmente prevalece e motiva o jogador é o gameplay e a satisfação de ter cumprido com seus objetivos, ou seja, sobreviver. Exemplo disso é a distancia entre você e o personagem principal, apesar de estar controlando ele(a) e ver cut-scenes com sua cara a todo momento, é quase impossível criar um elo de preocupação ou até mesmo de carisma, deixando claro que ele(a) apenas está ali porque algo deve ser controlado.

É curioso, mas Dead Nation é o primeiro jogo que tenho que foi criado e direcionado para a Playstation Network, tem em sua base um gameplay fantástico, desafiador e bem interessante. Se não me engano possue Co-op online e offline e vários troféus para serem coletados, é sem dúvida um ótimo game, mediano em algumas partes (Cut-Scenes), em outras nem tanto.

Dead Nation é brilhante, se revela ao trazer um ótimo gameplay e ao usar efeitos interessantes, é uma mistura bem dozada do clássico com o novo. Dead Nation é um jogo muito bom, eu recomendo!

2 Comentários

Arquivado em Consoles, Games, Hands-On, Lançamentos, Reviews

2 Respostas para “[Review] Dead Nation – O caos, a loucura e muitos zumbis!

  1. Lendo o review e assistindo o vídeo, realmente dá vontade de jogar, mas é aquele negócio né… exclusivo de PS3, publisher: Sony.

  2. Sim, porém um bom motivo para ter o PS3.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s